Pilates e Futebol
ROPE

ROPE

Pilates e Futebol: será que ajuda na otimização da performance?

Quando abordamos uma temática relacionada com o impacto do método de Pilates num atleta de alto rendimento, como por exemplo no futebol, há um conjunto de fatores que o profissional do exercício deve ter em consideração.  A caracterização da modalidade e do praticante é uma delas. Assim, é importante perceber, numa fase inicial, o tipo de esforço a que o atleta está sujeito durante a sua atividade e, em simultâneo, perceber quais as características fisiológicas padrão do atleta.

O trabalho que é desenvolvido nesta fase é fundamental naquilo que é a prescrição do exercício. Assim, é essencial que o mesmo corresponda às características específicas de cada atleta. Tal permite que as suas potencialidades para a otimização da performance sejam exploradas da melhor forma.

Pilates e o Futebol

O futebol assume-se como uma das modalidades desportivas mais exigentes e complexas. Isto porque, para atingir melhores desempenhos, é necessário ter em conta vários fatores, tais como a força, resistência, velocidade, agilidade, equilíbrio, respiração e flexibilidade.

O regime de treino intenso e repetitivo do futebol provoca hipertrofia muscular e diminuição da flexibilidade. Isso acaba por originar vários desequilíbrios entre as musculaturas, favorecendo o aparecimento de alterações posturais e, consequentemente, o aumento do risco de lesão.

Assim, em função daquilo que são as características gerais do futebolista, o método de Pilates começou a ser utilizado como uma “ferramenta” importante para a otimização do seu rendimento. Este método tem como objetivo o controlo do movimento através de uma melhor consciencialização corporal. Porque irá permitir uma melhoria da performance desportiva, da coordenação e da flexibilidade geral do corpo, que resultará no desenvolvimento da força muscular. Para além disso, o Pilates também reforça e alonga a musculatura do tronco, tendo como foco principal o trabalho da região abdominal e pélvica.

Os estudos evidenciam que a melhoria da flexibilidade que os exercícios de Pilates proporcionam é de extrema importância, quando nos referimos a modalidades em que os atletas necessitam de ótimos níveis de força e flexibilidade. Este fator permite que os atletas executem as ações desportivas de forma mais eficiente, contribuindo para um menor risco de lesão durante a atividade física.

Conclui-se, ainda, que os resultados são mais significativos quando esta prática é aplicada com uma frequência de duas ou mais sessões semanais, em que cada sessão tem a duração de, aproximadamente, 50 a 60 minutos.

Redigido pela nossa equipa de Fisioterapeutas

Outros artigos:

Exercício físico e o cérebro

9 parâmetros que podemos avaliar na consulta da coluna

Exercícios para fortalecer e relaxar os pés sem sair de casa

Partilhar este post

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on print
Share on email

MARCAR SESSÃO

Respondemos a qualquer dúvida ou questão que possas ter.

RECEBE TODAS AS NOSSAS NOVIDADES!

SÊ O PRIMEIRO SABER: